Contar calorias emagrece?

Apesar de ser um assunto polêmico no meio da nutrição, a contagem de calorias pode funcionar sim.

Artigo publicado por Aline Couto nas categorias: Dietas

Este é um assunto um pouco controverso no meio dos profissionais da nutrição, visto que há uma infinidade de características pessoais que influenciam no metabolismo e queima de gordura, daí a razão porque umas pessoas são mais ou menos gordinhas que as outras. Mas é constatado pela maioria que se você fizer um controle, ainda que amador, na ingestão de nutrientes, é possível perder peso sim, e com saúde, porque você apenas vai dosar a quantia que ingere e observar seu estilo de vida. Se és mais sedentário, controla mais, e és esportista, obviamente seu corpo vai demandar mais nutrientes. Esse assunto, inclusive, até virou tema de livro, “Dieta dos Pontos”, muito vendido mundialmente e recomendado por quem fez e seguiu as dicas de como analisar suas atividades, descobrir seu IMC e calcular o quanto de calorias e nutrientes ingerimos por dia.

contar-calorias-emagrece

Estudo Científico

A revista acadêmica Journal of the American Medical Association publicou o resultado de um estudo feito com 25 homens e mulheres saudáveis que receberam propositalmente uma dieta diária com quase 1.000 calorias além do necessário durante 56 dias, mas com quantidades variáveis de proteína e gordura.

Mesmo os que ficaram na dieta baseada em pouca proteína, algo em torno de 5% das calorias totais, terem engordado menos que os que receberam a nutrição normal ou com alto teor de proteínas, a gordura do corpo de todos os participantes aumentou na mesma proporção, ficou do mesmo jeito. O consumo corriqueiro de proteínas das pessoas está na faixa de 15% das calorias, enquanto o governo americano recomenda que componha de 17% a 21% do total diário de calorias. A longo prazo é bom, perde peso.

contar-calorias-emagrece1

Conclusão Científica

A conclusão a que os cientistas chegaram foi que pouco importa se uma dieta tem muita ou pouca gordura, carboidratos ou proteínas, porque são justamente as calorias que criam a gordura do corporal e aumentam o IMC (Índice de Massa Corporal).

Porém, surgiu um efeito um pouco negativo nos que se submeteram na dieta com pouca proteína: os participantes tiveram seus níveis de massas corporais magras como ossos, músculos e vísceras, todos diminuídos. Os que receberam uma dieta com 15% ou 25% de proteína tiveram um aumento dessa massa, motivo pelo qual engordaram mais que os alimentados com pouca proteína.

O IMC

O Índice de Massa Corporal (IMC) é um cálculo baseado no peso e altura e é usado amplamente para descrever a condição do peso de uma população. Mas ele está ficando cada vez mais polêmico quando é usado para analisar a saúde de indivíduos. Edward Livingston, um cirurgião gastrointestinal e pesquisador do Southwestern Medical Center, da Universidade do Texas, em Dallas, disse que o fato de os pacientes do estudo engordarem menos com a dieta de baixa proteína, mas ainda acumularem uma gordura substancial, sugere que depender do número do IMC pode enganar pacientes e médicos sobre o risco da obesidade.

E Afinal, Funciona?

Assim sendo, esse método vem sendo praticado por muitas pessoas e vem dando bons resultados. Porém, coube aqui apontar algumas peculiaridades negativas, mas não desastrosas, apontadas nos estudo. Tanto pode dar certo com você, e acaso não dê, não se desespere, cada pessoa é um universo, nem sempre o que faz bem a um, não quer dizer que ocorra com você, mas não custa tentar, pois é a lógica do universo, se ingere mais calorias, em regra mais peso terás, a recíproca é correta, desde que você não esteja dentre as pessoas com o biótipo em que o método não se aplica.

Aline Couto

Autora

Aline Couto já testou um pouco de todas as dietas e está sempre ligada nas últimas pesquisas e novos lançamentos na área de emagrecimento.



Comente!




*Campos obrigatórios